shutterstock_130539758

Investir em imóveis é tradicionalmente considerado como uma ótima ideia. Sejam terrenos, apartamentos ou casas, aplicar as economias em uma propriedade é creditado como uma forma segura de garantir o futuro da família.

E, diante da crise internacional do mercado imobiliário, investir em imóveis no exterior passou a atrair um bom número de brasileiros. Consequentemente, corretores de imóveis, brasileiros ou não, espalhados em diversos países, começaram a criar estratégias específicas para conquistar clientes no Brasil. Mas, antes de começar a negociar imóveis no exterior, é importante estar atento aos seguintes fatores:

Conheça as peculiaridades de cada país

Não é apenas o preço que importa. É necessário entender a política nacional voltada para o mercado imobiliário em vigor no país de seu interesse.

Quais as taxas envolvidas no processo de compra e manutenção do imóvel? Quais os deveres e direitos do proprietário? Como o país foi afetado pela bolha imobiliária e como está lidando com isso? Quais áreas e tipos de imóveis têm melhores perspectivas de valorização a curto, médio e longo prazo? Como funcionam as regras de herança?

Com base nessas e outras respostas, você poderá oferecer informações mais precisas e seguras para seus clientes.Talvez seja uma boa ideia, por exemplo, firmar uma parceria com um corretor local, para dar suporte nesse caso.

Entenda o objetivo da compra de um imóvel no exterior

Cada cliente tem um objetivo específico que o está motivando a comprar um imóvel em outro país.

Ele pode estar interessado em usar o imóvel durante as férias e alugá-lo durante o resto do ano – ou mesmo mantê-lo fechado. Ele pode estar buscando algo para si mesmo ou para filhos que irão estudar ou trabalhar fora do Brasil por um período determinado. Ou ele pode estar interessado em um novo lugar para viver após a aposentadoria.

É essencial que você entenda bem o motivo por trás da compra, para assim, poder oferecer o imóvel mais apropriado, e até mesmo orientar o seu cliente sobre qual país escolher.

Fique de olho na legislação brasileira também

Vontade e dinheiro não são suficientes para que alguém compre um imóvel no exterior, infelizmente. Existem regras nacionais que impactam nesse investimento, principalmente no quesito taxas. É preciso declarar a aquisição no Imposto de Renda e pagar imposto sobre a venda do mesmo, caso haja ganho de capital (valorização do imóvel), por exemplo.

É importante também estar atento às relações diplomáticas entre o Brasil e o país em questão, para não correr o risco de comprar um imóvel o qual terá dificuldades para visitar. A flutuação do câmbio também pode impactar muito, principalmente na manutenção do imóvel, e esse é um dos principais motivos pelo qual a maioria das pessoas que investem em imóveis prefere a compra à vista.

Essas são apenas apenas algumas questões às quais você precisa estar atento antes de começar a oferecer imóveis no exterior aos seus clientes. Porém, o fundamental é estudar bastante antes de se lançar nesse mercado. Quanto mais você pesquisar e aprender sobre este segmento, maiores são as chances de fechar ótimos negócios tanto para você quanto para seus clientes.

Comentários

comentários